É o nome em inglês para esfoliante e tem o objetivo de remover as camadas de células mortas da pele. Assim, podemos ter um rosto mais bonito, sem manchas, acne, cravos, cicatrizes e, até mesmo, rugas. Para além dos peelings realizados nos centros de estética, com laser ou outros ferramentas muito corrosivas para a pele, podemos aproveitar os benefícios das frutas, verduras e outros alimentos para atingirmos resultados similares ou, inclusive, melhores.
De maneira geral podemos dizer que os peelings têm a ação de descamar a pele, lesar a pele de forma induzida e controlada, o quê seria negativo e prejudicial, se não fosse a capacidade que a pele tem de responder a isso e se regenerar. Com os peelings conseguimos promover então, uma regeneração induzida da pele, o que nos possibilita não só “tirar a pele velha e expor a pele nova” em diferentes profundidades, como também “abri-la” para outros tratamentos trabalharem em camadas mais profundas.

Por isso que os Peelings são ferramentas tão úteis, eficientes e versáteis e, de forma direta ou indireta, compõem quase todos os tratamentos de pele: manchas, rugas, envelhecimento precoce, sujidade, desnutrição, desidratação, oleosidade, acne, cicatrizes, estrias e até flacidez dérmica. E os resultados podem ser incríveis, qdo programados e planejados por um profissional.